Envie agora sua mensagem para o locutor!

200
caracter(es) restante(s)

Previsão do tempo!

Agora o tempo está Nublado com 17 ºC.

Envie agora seu recado ao nosso mural!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias: Geral

Prefeitura e URI debatem uso de material alternativo em obras públicas
17h46, 16/02/2017
Prefeitura e URI debatem uso de material alternativo em obras públicas
Fotos:Divulgação
Na busca por novas tecnologias capaz de gerar economia na execução de obras públicas, a administração municipal deve formalizar em breve parceria com a Universidade Regional Integrada (URI), Campus de Santo Ângelo, para a produção em larga escala de artefatos de concreto e cimento utilizando material alternativo. Pesquisa desenvolvida nos departamentos de Engenharia e Ciência da Computação e o Departamento de Ciências Exatas e Da Terra.
 
O gestor Científico do Parque Tecnológico, professor doutor Antônio Vanderlei dos Santos e o chefe do Departamento de Engenharia e Ciência da Computação professor mestre Mauro Marchetti, prevêem a utilização de resíduos industriais para a confecção de artefatos de cimento, reduzindo significativamente o custo de produção.
 
Na manhã de quarta-feira, 15, os secretários de Obras e Serviços Urbanos, Diórlan Zanetti e Francisco da Silva Medeiros, do Meio Ambiente, atendendo à indicação do prefeito Jacques Barbosa, iniciaram as conversações com o diretor Geral do Campus da URI, Gilberto Pacheco e com os engenheiros responsáveis pelos departamentos envolvidos no projeto tecnológico, quando ficou definido a análise da situação para a licença prévia ambiental e, posteriormente, a formalização da parceria e o início da produção dos materiais. Segundo os idealizadores do projeto, a licença para a fabricação já tramita junto à Fundação Estadual de Proteção Ambiental (FEPAM) e na Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Santo Ângelo.
 
De acordo com o secretário de Obras e Serviços Urbanos, a parceria vai reduzir drasticamente os custos para o município na fabricação de blocos de concreto, meios-fios, tubos, “pavers” (peças pré-moldadas de concreto destinadas à pavimentação intertravada, amplamente utilizada nos países de primeiro mundo, principalmente em praças, passeios, ruas, avenidas, estacionamentos, etc.), e no mobiliário urbano. Diórlan aventou o uso do “pavers” na construção das ciclovias, projeto da atual administração e que ganha ainda mais força com a possibilidade de fabricação em Santo Ângelo com baixo custo.
 
O secretário revelou que a administração municipal deve apresentar proposta de parceria à Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) para a instalação e fabricação de tubos em anexo ao Presídio Regional de Santo Ângelo, utilizando a mão de obra dos detentos e a conseqüente redução de pena, conforme prevê a legislação.
 
PROJETO
Santos, que também é o responsável técnico pelo projeto, explica que estudos apontaram a consistência de resíduos industriais de fundição em substituição a areia natural (de rio), sendo agente capaz de preservação ambiental e de redução de custos no setor da construção civil, pela utilização de material que seria descartado pela indústria. O professor doutor argumenta ainda, que os resíduos representam alto custo de descarte pela indústria, que precisa usar de transporte adequado para acondicionamento e destinação final em municípios próximos à Região Metropolitana de Porto Alegre.
 
“Os estudos sobre a resistência do produto e todos os testes já estão concluídos, precisamos articular o licenciamento ambiental para a produção em escala industrial”, concluiu Santos.
 
O chefe do Departamento de Engenharia da URI, ressaltou o baixo custo para a fabricação do material, que é de extrema importância para atender a demanda social. “Temos fartura destes resíduos industriais na região, o que poderá alavancar a confecção de artefatos de cimento e concreto para uso em obras públicas”, afirmou Marchetti.
 

Também atuaram no projeto, as engenheiras formadas pela URI, Ayani Rodrigues e Jéssica Torres, que iniciaram as pesquisas quando ainda estagiárias do curso de graduação, bem como o professor doutor Flavio Kieckow, doutor Marcelo Strack, e os professores mestres Nelson Seidler e Bóris Kasanova. 

Fotos vinculadas

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Santo Ângelo